Livro de VisitasMapaContactoLigações
 
 
   Você está aqui: Livre > Divulgação > Governos e software aberto  
 
 
 

Divulgação

UE recomenda que governos descartem software proprietário

10/Jun/08 - Bruxelas                     Clique aqui para descarregar o texto original do discurso, em inglês.

A comissária para concorrência da União Europeia, Neelie Kroes, fez uma dura crítica à Microsoft ao recomendar que os governos utilizem software baseado em padrões abertos. A repreensão foi feita durante conferência na terça-feira (10/6) em Bruxelas, na Bélgica, onde fica a sede da Comissão Européia.

Nos últimos quatros anos, a comissária vem travando uma luta acirrada com a Microsoft. Ela acusa a companhia de ter desafiado ordens da Comissão Européia, o que gerou multas que quase 1,7 mil milhões de euros, ou US$ 2,7 mil milhões, por ter violado as regras europeias da concorrência.

O discurso de Neelie teve um tom mais forte ainda ao recomendar aos governos e empresas públicas que descartem produtos baseados em padrões proprietários, e optem por utilizar sistemas de código aberto, numa clara alusão à gigante americana do software.

"Eu conheço uma decisão comercial inteligente quando vejo que alguém optou por um produto de padrão aberto. A escolha de padrões abertos é uma decisão de negócios muito inteligente, na verdade", Neelie. "Nenhum cidadão ou empresa deve ser obrigado ou incentivado a escolher uma tecnologia fechada tendo como opção uma aberta."

Embora não tenha citado nominalmente a Microsoft em seu discurso, a comissária da concorrência fez uma alusão clara à empresa ao se referir que houve um único caso na história da União Europeia em que foi aplicada a lei antitrust contra uma companhia por se recusar a cumprir as ordens determinadas pelo órgão executivo da comunidade.

"A Comissão Européia nunca antes havia emitido duas sanções pecuniárias compulsórias, num processo de concorrência", disse Neelie, segundo notícia publicada nesta quarta-feira (11/6) pela versão em linha do New York Times.

Nos últimos meses, a comissária europeia abriu novos inquéritos contra a Microsoft, após denúncias de concorrentes de competição desleal no mercado de navegadores web, utilizando o software Internet Explorer. Ela também está investigando se a companhia está a dificultar o processo de compatibilidade de software de empresas rivais com o pacote de aplicações para escritório Office.

No discurso, Neelie disse há sérias preocupações no que concerne a segurança para governos e empresas públicas que utilizam um único fornecedor de software. Ela elogiou a cidade de Munique, na Alemanha, por utilizar software baseado em padrões abertos, juntamente com o Ministério dos Negócios Estrangeiros alemão, além da Gendarmerie Nationale, departamento francês de polícia.

Neelie, que é holandesa, incentivou o governo e o parlamento do seu país a continuar a avançar no uso de padrões abertos. “As agências europeias não devem confiar num um único fornecedor e devem recusar aqueles que mantêm bloqueadas suas tecnologias, comprometendo a manutenção do controlo total sobre a informação”, disse a comissária.

No fim do discurso, ressaltou que a Comissão Européia precisa executar “com garra” a política aprovada no ano passado para promover o uso de software que suporta padrões abertos.

in: http://www.idbrasil.org.br/drupal/?q=node/26119

 

 
 
 
     Livre - Licença Creative Commons - 2007-2017 - Sérgio Ramos ↑ Topo ↑